Um aviso aos desavisados:

Esse blog é descompromissado, pode ser que não tenha postagens sempre, mas se tiver algo é sempre no DOMINGO.

E Capcom não me processa por usar tanto Mega Man.

Procure aqui:

sábado, 31 de março de 2012

Premunição em 3D

Não gosto de fantasmas
As vezes temos premunições sobre o que vai acontecer nos games.



quinta-feira, 29 de março de 2012

Jogos 8 bits em 3D

     Você já pensou como seriam os clássicos games 8-BIT em gráficos 3D? Confira alguns exemplos abaixo, é interessante dizer que alguns jogos foram relançados para consoles mais novos, como o 3DS, com gráficos e as vezes realmente 3D.

     Segue as imagens:
The Legend of Zelda.

EXCITEBIKE

CANHÕES SUPER MARIO BROS.

THE LEGEND OF ZELDA (esse game realmente quase foi lançado para o Famicom Disk System).

THE LEGEND OF ZELDA (esse game realmente quase foi lançado para o Famicom Disk System).

SUPER MARIO BROS. FASE AQUATICA


PLANTAS CARNÍVORAS SUPER MARIO BROS.

TARTARUGAS QUE JOGAM MARTELOS SUPER MARIO BROS.
SUPER MARIO BROS.

SUPER MARIO BROS.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Bit System - um clone brasileiro não muito conhecido.

Bit System

   Esse é um nome de mais um clone de NES e olhem só, é brasileiro, só que não é muito conhecido (pelo  menos para mim). Foi um dos primeiros clones de NES no Brasil.

   Seu exterior e controles são muito parecidos com o do NES americano, o que acho muito legal. Ele também é compatível com cartuchos de NES (de 72 pinos, para Famicom precisa de adaptador 60-72 pinos), pena não vir com a pistola de luz (gosto de Duck Hunt). Outro fator também interessante é de os cartuchos serem colocados na horizontal e na frente do console.
   O aparelho possui caixa própria (esse console não é feito para enganar como o PolyStation), onde estão bem evidentes o console e controles. O logo é "BIT system o infinito mundo da diversão". Na caixa também vem bem à mostra dizendo ser compatível com o NES (mais chamado de nintendinho ou nintendo no Brasil antigamente).
   Um dos únicos problemas do console são sua fragilidade e seus controles horrivelmente ruins. O bom do controle é ter botoes turbo, mas outros clones também possuem, e direcional com diagonal, o ruim é de o direcional ser muito pequeno, só tem select e start no controle 1 e estes ficam entre os botoes A-B e os turbos um absurdo, não dá para usar os controles em entradas intercaladas e o fio sai da lateral do controle, o que atrapalha muito na hora da jogatina.
   Desconheço o preço que custava o aparelho, e é muito difícil de se encontrar para comprar, é um console meio raro hoje em dia.

   Fontes: conhecimento adquirido e não faço idéia de quem é a imagem.

   Avaliação geral:

   Prós: visual bonito, caixa própria, roda cartuchos NES.

   Contras: frágil, controle ruim e console raro para achar hoje em dia.

domingo, 25 de março de 2012

Download Rom Super Mario Brothers versão de NES.





Informações do download:
    

Importante: de acordo com a Lei nº 9.609/98, a ROM é legal apenas quando uma pessoa possui o cartucho do game original e quer utilizá-la como um Backup.





40KB




Você vai precisar de um emulador para rodar o jogo, recomendo o VirtuaNES:








Emulador de NES


     VirtuaNES permite que você jogue seus jogos clássicos favoritos em seu computador! Este é mais uma opção de emulador de NES, conhecido no Brasil pelo gamemaníacos como Nintendinho que possuía uma legião de fãs da era 8bits.
Grandes jogos para época foram lançados e viraram mania mundial, como: Mario Bros o encanador bigodudo, Mega Man o menino-robô, Tartarugas Ninja, Contra, Zelda entre outros.
Possui código fonte disponível para qualquer programador que queira implementar novas idéias no software. Todos estes jogos podem ser baixados e emulados em seu computador. 

     Roda em Windows 98, NT, 2000, Millenium, XP, Vista, 7, 8.

Recursos

  • Emula: Nintendo 8-bits / Famicom (NES)
  • Atualizado periodicamente (ativo);
  • Permite disputas via rede local e/ou Internet;
  • Permite o uso de cheats;
  • Pode ser utilizado sem a necessidade de instalação (Portable);
  • Video: Tela cheia, Várias resoluções
  • Audio: Habilita/desabilita som, Salva o som do jogo em formato Wave (.WAV), Volume
  • Controles: Joystick, Configuração de teclas e botões, Teclado
  • Interface: Gráfica
  • Carrega jogos através de: Arquivo (ROM), Arquivos compactados (.ZIP)
  • Durante a execução do jogo é possível: Aumentar a velocidade de emulação, Pausar automaticamente quando a janela não estiver ativa, Quicksave/Quickload, Salvar/restaurar o status do jogo ao pausá-lo, Resetar, Pausar, Exibir a taxa de frames por segundo (FPS)
  • Salva imagens do jogo em formato: BMP
     Texto por: Super Downloads.





Super Mario Brothers (NES) review e download.

Download da rom no fim da postagem.
História:

     O primeiro jogo em que Mario apareceu foi em Doneky Kong, para NES e Arcade. Lá, ele ainda não tinha o nome de Mario, apenas era chamado de Jumpman (homem que pula). Naquele jogo, ele tinha a missão de resgatar sua namorada Pauline do macaco Donkey Kong, que a levou para o alto de uma construção. Em seguida, Mario apareceu na sequência de Donkey Kong: Donkey Kong Jr, onde ele havia aprisionado Donkey Kong, e o filho do mesmo, Donkey Kong Jr, devia resgatá-lo. Depois, Mario apareceu, pela primeira vez com o nome de Mario, no jogo Mario Bros, onde ele e seu irmão Luigi deveriam acabar com as pragas que infestavam os esgotos do Brooklin (lá na onde acontece o Todo Mundo Odeia o Chris).
     Um tempo mais tarde, Mario apareceu em Super Mario Bros, que não era seu primeiro game como Mario, mas sim seu primeiro game como Super Mario, é Super porque quando o Mario pega o cogumelo laranja ele cresce, coisa que não acontecia nos outros jogos que havia o Mario, ele sempre era pequeno. Esse jogo foi revolucionário, pois foi o primeiro jogo a utilizar a tecnologia de rolagem lateral.

Sobre o jogo

     Em Super Mario Bros, Mario apareceu pela primeira vez no consagrado estilo que conhecemos hoje: Aquele herói que pula, bate em blocos, pega cogumelos e chuta o traseiro verde de muitas tartarugas!
     Nesse jogo, o encanador deve salvar o Reino do Cogumelo do exército de Bowser, uma tartaruga bípede que tem espinhos nas costas e cospe fogo. Para isso, ele terá que superar oito mundos cheios de inimigos. Cada mundo tem quatro fases: A primeira em terrenos plainos (imagem 1), a segunda em ambientes subterrâneos ou aquáticos (imagens 2 e 3), a terceira em lugares mais altos (imagem 4), e a última numa fortaleza de Bowser (imagem 5). Para concluir as três primeiras fazes, Mario deve pular em um mastro no final da
fase. Para concluir a quarta, ele deve derrotar Bowser, que está no final da fase. Bowser é derrotado quando Mario chega do outro lado da ponte onde a batalha se passa, ou quando o encanador lança uma boa quantidade de bolas de fogo em Bowser. Nas sete primeiras fortalezas, Mario não enfrenta o verdadeiro Bowser, mas sim um inimigo comum disfarçado de Bowser. Já na oitava e última fortaleza, ele enfrenta Bowser em pessoa. Após derrotar Bowser, Mario resgata a Princesa Peach, a governanta do Reino do Cogumelo que foi sequestrada por Bowser no começo da aventura.
     Durante o jogo, Mario deve coletar itens para aumentar seus poderes: Cogumelos que aumentam seu tamanho, Flores de Fogo que lhe permitem atirar bolas de fogo, além das Estrelas que lhe dão imortabilidade temporária. Quando não possui itens, Mario pode eliminar os inimigos pulando em cima deles, mas esse ataque não mata todos os inimigos.
Imagem 1
Imagem 2
   
Imagem 3
Imagem 4
Imagem 5


Menu do jogo
     O menu é bem simples, consiste só em escolher o jogo com um ou dois jogadores e mostra a maior pontuação já tida no jogo na ultima vez que foi utilizado.
 
Curiosidades:

     Mario só se passou a ter tal nome quando um dos jogos em que ele ainda não tinha o nome chegou à Nintendo Americana. Um dos funcionários da mesma era muito parecido com o personagem, e o nome do funcionário, Mario, daí veio o nome.

     Sabe quando você quebra um tijolo, pois você está assassinando uma pessoa. Mas como? É que na história original que vem com o cartucho de jogo, todo o povo do reino do cogumelo foi transformado em tijolos, pedras e plantas. Você vai lembrar disso quando der um soco num tijolo.

     O fogo que Bowser joga é mostrado ao contrario do que foi desenhado, pode conferir, é verdade mesmo.

     Os arbustos e as nuvens são as mesmas coisas, são apenas recoloridas e os koopas tem quase o mesmo formato dos cogumelos.
Fontes:

     Conhecimento próprio, muita leitura, imagens próprias e dos outros.
 
Avaliação geral:


     Prós: boa jobabilidade, divertido tanto sozinho quanto em dupla.

     Contras: Jogo curto, mais difícil perto do fim (demorei consideravelmente para zerar).


 

sexta-feira, 16 de março de 2012

PolyStation

   Polystation é um dos clones mais famosos do Famicom (NES na américa, que retirou os videogames do crash de 1984). É um console de 8 bits gráficos que utiliza cartuchos de 60 pinos (Famicom), seus gráficos não são ruins, iguais do NES, há apenas uma pequena diferença que quase não da para perceber no som do aparelho.


   O exterior do aparelho copia o do PlayStation One, PS2 e PS3,os mais antigos copiam do PSX, feito de plástico bem fraco. O leitor de cartuchos fica no local onde ficaria o CD do PSOne. Os controles copiam os primeiros controles do PSX, só que sem os botões L1,L2,R1,R2. Também possui uma pistola de luz para jogos de tiro. Utiliza fonte de energia externa que varia de 4.5V, 6V, 7V,  9V... É ligado na TV por cabos AV ou por Radiofreqüência (nem todos possuem RF).


   Quem já abriu um Poly, viu seu “incrível hardware” (as três plaquinhas de circuito). O que faz o hardware ser tão pequeno deve-se ao fato dele utilizar o “NES-on-a-chip” (e vagabundagem dos pirateiros ching-lings) que contém todo o hardware do console original em um único chip, também há um chip no controle e mais um dentro do console além do NES-on-a-chip, que guarda os jogos internos(os que vem com o cartucho de games não tem esse outro chip).


   O console para chegar ao Brasil segue o seguinte caminho: é fabricado na china, importado para o Paraguai e de lá sacoleiros trazem para o Brasil, para vender em lojas de esquina ou em camelôs. No Brasil é vendido com preço que vai de 15 até 60 reais. Considerando seu hardware o Poly não é ilegal, pois a patente do hardware do Famicom da Nintendo já expirou faz tempo (esse ano expira a do Super Nintendo, sucessor do NES, será que vai ter Poly de 16 bits?), mas considerando a maneira de como ele entra no Brasil, considera-se contrabando de produtos (deixo claro que não incentivo a pirataria).

   O que mais irrita os compradores é o fato de pessoas confundirem com o PlayStation, estar escrito que vem 9.999.999 jogos mas vem uns 5 (fala sério, nem foram lançados 9.999.999 jogos para o NES) e sua caixa copiar a do Nintendo 64. Mas em compensação, alguém que não achou um NES ou Famicom para comprar, é uma boa opção, pois ele vem completo, com dois controles, pistola e jogos na memória, e da para jogar os jogos dos cartuchos originais (cartuchos NES americanos precisam de adaptador de 72 para 60 pinos).

Fontes: Imagens e conhecimento próprio.

Avaliação geral:

Prós:
1-Roda os cartuchos originais.
2-Vem completo, dois controles, pistola e jogos.
3-Qualidade de imagem ótima.

Contras:
1-Considerado ilegal no Brasil.
2-Frágil.
3-Copia geralmente a carcaça de outros consoles e a caixa do N64.